FRANNY K. STEIN – CIENTISTA MALUCA

No início do ano passado, a Si começou a falar em ser cientista quando crescer. Na época, resolvi procurar algum livro com personagens cientistas e me deparei com pouca oferta para sua faixa etária – estava com cinco anos – nenhuma com uma cientista menina. Então, acabei comprando um livro da coleção Franny K. Stein, indicada para crianças a partir de oito anos. Foi paixão à primeira leitura!

O almoço está entre nós. Capa.

O almoço está entre nós. Capa.

Eu confesso que tenho lá minhas críticas à coleção, característica da literatura “enlatada”*. Esse é o tipo de livro que facilmente faz sucesso entre a gurizada, é vendido em vários países, não traz nenhuma reflexão mais aprofundada sobre nada . Normalmente vêm dos EUA, são coleções, tratam do cotidiano das crianças e/ou adolescentes daquele país e com isso propagam a cultura do mesmo. Nada contra conhecer a cultura de outros países! Tudo contra “padronizarmos” a cultura do mundo a partir daquela de um só país. Essa “hegemonia” cultural dos EUA, na música, nos modos de vida, no cinema e na literatura me incomoda. Apesar dessa minha visão acerca dessa “literatura enlatada”, ela entrou lá em casa. Mais de uma vez. E levada por mim! Em minha defesa (para mim mesma) tenho alguns argumentos: impossível criar as crianças em uma redoma de vidro; apesar de enlatados esses livros podem ter algumas histórias interessantes; as crianças gostam, o que estimula o hábito da leitura; e em casa sempre oferecemos uma gama bem variada de outros tipos de literatura.

A Franny esquecida pelo tempo. Versão em inglês.

O ataque do cupido de 15 metros. Versão em inglês.

Os livros da coleção Franny K. Stein trazem as aventuras de uma pequena e superinteligente “cientista maluca”. Se essa coleção tem um mérito é justamente esse, o de mostrar uma protagonista menina que foge ao padrão “meigo, delicado e cor de rosa”. O primeiro livro que lemos – “O almoço está entre nós” – traz ainda a mensagem de que não devemos mudar nosso jeito de ser só para agradar aos outros. Além desse, temos “A Franny esquecida pelo tempo” e “O ataque do cupido de 15 metros”. A Si gosta de todos, mas o primeiro é o preferido.

A Franny esquecida pelo tempo.

A Franny esquecida pelo tempo.

Os livros têm por volta de 110-112 páginas cada, mas em função do tipo de fonte (letras grandes e bom espaçamento) e das diversas imagens, a quantidade de texto não é demasiada. É possível ler para crianças da faixa etária da Si (6-7 anos) de uma vez só. Já para leitura autônoma, o melhor que seja por capítulo.

Fica a dica!

Coleção: Franny K. Stein – cientista maluca

Autor: Jim Benton

Editora: Fundamento

Ano: 2011

Número de páginas: por volta de 110-112

*Trata-se de uma apropriação para a literatura da expressão “cultura enlatada”, que é utilizada para fazer referência aos produtos – geralmente de baixa qualidade e “padronizados” – que são importados das “fábricas” de filmes/seriados para preencher a grade horária da televisão. Como exemplo temos a maioria dos filmes exibidos na tradicional “sessão da tarde”.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s